Translate

23.12.13

Na hora de julgar o propinoduto tucano os juízes fogem como pode

    2014 ano de copa do mundo e eleição, ano do julgamento do mensalão tucano (ou deixarão prescrever?), e o STJ recebe o processo do Propinoduto Tucano (Caso Alstom/Siemens).
      Debandada geral, a relatora passa o caso, outros 3 juízes já falam em trocar o veredicto por um cargo político.
      Ministra Rosa Weber abre mão de decidir se Supremo Tribunal Federal deve ou não acatar denúncia de formação de cartel, quadrilha, corrupção ativa e passiva no caso dos trens e metrô de SP.

      Ex-Ministra do Supremo Tribunal Federal, Ellen Gracie já está filiada ao PSDB, mas ainda não sabe que cargo disputará; antes dela Eliana Calmon trocou o Superior Tribunal de Justiça pelo PSB; agora só falta o mais notório de todos, que é Joaquim Barbosa.



E ainda querem te convencer que vão acabar com o corrupção. É piada!


(E aquele helicóptero do deputado com 1/2 tonelada de cocaína na fazenda do senador, ninguém quer mais saber...)

13.11.13

Como o brasil trata os brasileiros...

No vídeo a seguir, um documentário sobre as manifestações de junho no Brasil.
Para cada bomba guardada em vasilhames, cada bomba chutada vale quase um mês de salário de um professor. Será que estamos mesmo investindo certo neste país?


De tudo, falam dos black blocs e do vandalismo. Silencio sobre o que queria, e o que levou tanta gente às ruas. Os jornais quase sugerem que as manifestações devem acontecer em fila, para não incomodar. E os políticos continuam dizendo que são os representantes da voz das ruas, como se não fossem eles (mídia e políticos), os responsáveis pelo grito nas ruas.  E em pleno século XXI a polícia ainda desce a chibata nas costas do povo...


E de acordo com pesquisa da FGV, o brasileiro confia mais na polícia que nas emissoras de TV...

17.10.13

Depois do dia dos professores 2013

16 de abril de 2013, um dia de boas notícias...


às vésperas do Calote Yank...



Há 20 anos atrás era maluco quem imaginasse coisa assim!
...passa aquele sonho de um futuro melhor


Haja hoje para tanto ontem...

2.9.13

Os EUA jogam bombas, o Brasil joga bosta...


nota oficial
No dia 30 de agosto, realizamos protestos em sete capitais brasileiras em frente à Rede Globo e afiliadas, pela democratização da comunicação. A ação que realizamos que ganhou maior repercussão nos escrachos foi jogar merda em frente às sedes da emissora.

No dia posterior, as Organizações Globo lançaram na internet a sua confissão de culpa, em relação ao apoio que deu ao Golpe de 1964 e à Ditadura Militar. Nesse sentido, apresentamos aqui as razões que levaram a nos manifestar dessa maneira:


-Jogamos merda na Globo porque ela é ilegal e antidemocrática. A Globo é a representação máxima do monopólio das comunicações em nosso país, exercendo um poder absoluto na definição do que é verdadeiro e do que é falso, do certo e do errado, do que é legítimo e do que é ilegítimo no Brasil. Tal grau de concentração é incompatível com a Constituição de 1988, que proíbe expressamente o monopólio e oligopólio dos meios de comunicação. Um poder de controlar corações e mentes como o construído pela Globo jamais seria tolerado mesmo em países liberais.


-Jogamos merda na Globo porque ela é manipuladora e faz censura. Está intimamente associada às forças conservadoras do Brasil. Sua trajetória está marcada por uma relação intrínseca com o sistema político vigente e com a classe dominante. Para tanto, a Globo manipula fatos, constituindo e desconstituindo presidentes de acordo com seus interesses e das frações de classe as quais representa. É notória a sua orientação editorial no sentido de criminalizar e deslegitimar a ação dos movimentos sociais e suas bandeiras populares.


-Jogamos merda na Globo porque ela é golpista. Foi o suporte ideológico do Golpe Militar de 1964. As Organizações Globo, como recentemente assumiu, foram cúmplices de um regime ditatorial que perseguiu, prendeu, sequestrou, torturou e assassinou milhares de brasileiros que lutaram pela democracia, mas que eram tratados como “terroristas” nas manchetes dos seus jornais. A Globo foi conivente com a maior marca de sangue que o povo brasileiro carrega em sua história.


-Jogamos merda na Globo porque ela foi beneficiada e construiu um império sobre a obra da ditadura assassina. Nunca assumiu que seu império só se formou a partir das vantagens que obteve por sua associação com as forças sociais, políticas e militares que sustentaram a ditadura. E por conta dessa parceria, até o final do regime ocultou as lutas por redemocratização – inclusive o histórico comício de São Paulo, em 1984, pelas Diretas Já – prolongando ao máximo a sua duração. Portanto, não cometeu um erro, mas um crime.


- Jogamos merda na Globo porque ela é contra as mudanças que o povo quer. Em seu editorial a Globo reafirma que era contra as Reformas de Base propostas por João Goulart. Interrompidas pelo golpe, essas Reformas até hoje não foram realizadas, na medida em que o povo permanece sem acesso pleno a direitos elementares. A Globo é um dos principais entraves para o avanço nas necessárias reformas estruturais no Brasil, como a Reforma Educacional e Política.


-Jogamos merda na Globo porque ela é hipócrita. A Globo é propriedade da família mais rica do Brasil. Os filhos de Roberto Marinho somam um patrimônio de R$ 51 bilhões. Ao mesmo tempo, a Globo deve ao Estado brasileiro R$ 615 milhões, somando os impostos que sonegou na compra dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002 e as multas que recebeu da Receita Federal. Ou seja, suas empresas de comunicação atuam como agente moralizante da sociedade brasileira(julgando e denunciando desvios de verbas públicas) e promovem ações voltadas para “inclusão social”, enquanto acumulam o maior riqueza familiar do país e sonegam impostos.


-Jogamos merda na Globo porque ela joga merda na gente. A Globo contribui decisivamente para a formação de um visão de mundo conservadora, alienada e discriminadora. Sua programação está repleta de narrativas que degradam o papel da mulher, que invisibilizam a população negra e estigmatizam os homossexuais. A Globo representa também o monopólio da arte, da música e do cinema no Brasil, atuando como um torniquete que impede acesso, difusão e produção das expressões culturais mais genuínas do povo brasileiro. A emissora transformou um dos maiores patrimônios do país, o futebol, em um ativo no mercado publicitário, controlando desde a direção da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) até os horários dos jogos.


-Jogamos merda na Globo para quebrar um pacto de silêncio que existe sobre o seu Império, pois a maior parte das forças políticas, seja por cumplicidade ou por medo de se desgastar politicamente com a emissora, não questiona o seu poder. Da mesma forma, o governo federal, em nome desse pacto, silencia quanto à regulamentação dos meios de comunicação e continua alimentando essa máquina de recursos por meios das verbas publicitárias dos ministérios e empresas estatais.


-Jogamos merda na Globo pois a merda é a representação do que há de mais sujo e repugnante. É aquilo que deve ser descartado. Ao mesmo tempo, a merda fertiliza e pode fazer nascer algo novo, como a confissão de culpa que a empresa assumiu por ter apoiado a ditadura durante 21 anos. Como poderá fertilizar a regulamentação e a efetiva democratização dos meios de comunicação.


Somente com atos dessa natureza seria possível expressar a necessidade urgente de democratizarmos a comunicação em nosso país. Assim como a luta por Memória, Verdade e Justiça, que pautamos a partir dos escrachos aos torturadores, a luta pela democratização da comunicação é uma etapa fundamental para consolidarmos o processo de redemocratização da sociedade brasileira até hoje inacabado.


Não descansaremos enquanto esses objetivos não forem alcançados.


Pátria Livre, Venceremos!
1º de setembro de 2013

Levante Popular da Juventude

http://levante.org.br/levante-popular-da-juventude-por-que-jogamos-merda-na-globo/

23.7.13

Visita do papa ao Brasil

Na Jornada Mundial da Paz, polícia do Rio declara guerra ao povo carioca


O povo de um lado, polícia de outro


Se pro papa tem papa-móvel, pro povão tem Caveirão


Será que o papa veio oferecer produtos daquela indústria que o Banco do Vaticano é acionista?


O povo corre...


Ou reage


e os jornalista da imprensa livre são presos


Isso foi só o primeiro dia...

4.7.13

O motivo das manifestações de junho no Brasil

O Estopim - nesse vídeo vocês verão o por que começaram as manifestações de junho no Brasil.
Reparem que muitas imagens são feitas de trás dos policiais, ou seja, por profissionais das TVs brasileiras. 
Eles sabiam como aconteceu, tinham as imagens e noticiaram para todo país que a polícia reprimia vândalos e baderneiros que iniciaram os ataques.
Um crime, do governador do estado que liberou o uso da força, a pedido dos donos dos grandes jornais. 
Um crime, das TVs que acobertaram a violência gratuita.
A grande farsa desmontada por cinegrafistas amadores, celulares e pela própria população que registrava a covardia policial.
Tais atos geraram a onda de protestos por todo o país, que depois da internet e a livre expressão, deixam de ser reféns do oligopólio midiático brasileiro.

video

Por quase um mês, gigantescas manifestações pacíficas aconteceram em diversas cidades do país. Somente as cidades sob domínio da FIFA, onde aconteciam jogos da Copa das Confederações, os manifestantes foram duramente rechaçados pela violência policial. Indefensável e criminosa, a escolha de governadores e prefeitos de defender a FIFA do povo brasileiro, com truculência e abuso da violência. Acobertados pela grande mídia que manipulava e desinformava na cobertura de seus reais motivos.


Agora as lutas são por uma democratização das mídias e o direito  de informação imparcial. Pelo fim do monopólio da informação!


Vaiada em todo o Globo


1.7.13

Manifestações no Brasil - Copa das Confederações

Quanto o estado cobrou pelas manifestações pacíficas no país:


Põe na conta da FIFA


Enquanto o jogo rolava dentro do Maracanã, do lado de fora, a polícia defendia a FIFA dos brasileiros


Parabéns governador Sérgio Cabral pelo tetracampeonato da copa das confederações. 
Por alguns gols o sr. pagou com 10 vidas, uma multidão de feridos, policiais e cidadãos em pé de guerra, despejou índios, destruiu museu e história, vendeu o Maracanã, fechou escolas, transformou a cidade do Rio num campo de batalha, desrespeitou os brasileiros, mas ficou bem com a FIFA.
Espero que tenha valido a pena.
Durma em paz!

19.6.13

O discurso nas ruas do Brasil


A grande mídia no Brasil, capitaneadas pela Rede Globo, no seu serviço de manipular as informações e distorcer a verdade a seu bel prazer, sobrevoa de helicóptero as manifestações populares pois não pode noticiar o áudio da VOZ DAS RUAS...
Enquanto tenta trazer seu discurso golpista para as telinhas no país, precisa calar os manifestantes que não se cansam de repetir 
O POVO NÃO É BOBO, FORA REDE GLOBO!



Quando se descuidam e deixam microfone aberto nas ruas... Pagam mico em rede nacional!
Mais uma vez o povo foi calado nessa emissora...


18.6.13

Por uma nova História do Brasil

Uma breve história das manifestações populares no Brasil em imagens
Colonia de Portugal

Reino independente
Império parlamentarista

República Velha
Ditadura De Chumbo
Nova República
Eu posso ter esquecido algumas importantes revoltas, mas a resposta do Estado sempre foi a mesma
O Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad tem a oportunidade de pela primeira vez na história dar a vitória aos manifestantes. Ajudar a construir uma nova história desse país!

13.6.13

Policia de SP declara guerra à população que quer se manifestar


Cidadãos de SP pedem uma manifestação sem violência e não são ouvidos.
A grande imprensa nacional, já sabemos como ela se posiciona.

Nem mesmo a repórter da Folha de São Paulo, jornal que se coloca a favor dos poderosos contra os direitos do cidadão, foi poupada. Tomou um tiro de bala de borracha no olho, de um policial da ROTA quando se encontrava em local fora da manifestação.


20h47 – Uma repórter do jornal Folha de S. Paulo foi baleada no olho com uma bala de borracha. Segundo Giuliana Vallone, da TV Folha, ela estava em um estacionamento na Rua Augusta quando uma viatura da Rota se aproximou em baixa velocidade e um PM que estava no banco de trás atirou contra ela. Repórteres do Estado de S. Paulo também presenciaram ações questionáveis da Rota. Dois deles foram alvos de uma ação semelhante, na qual uma viatura se aproximou e disparou bombas de gás lacrimogêneo tentando acertá-los. Não havia conflito e nenhuma concentração de manifestantes na ocasião.
(http://blogs.estadao.com.br/estadao-urgente/manifestantes-fazem-quarto-protesto-por-reducao-da-tarifa-de-onibus/

)

O governo do estado (PSDB), que comanda a polícia, já tem muita experiência nesse tipo de iniciativa - para o povo, polícia! - essa é sua prática usual.
Mas, presidente Dilma, se seu Ministro da Justiça acha correto esse tipo de comportamento, está na hora de pensar em outro nome para o cargo. Faz parte da democracia o direito de se expressar, de se manifestar e também faz parte da história do Brasil, o governo reprimir toda manifestação popular na porrada. Acredito que seu mandato, dando sequencia ao do presidente Lula, veio para mudar essa história. Está na hora de tomar uma posição!


Abaixo, depoimento de Tomas de Toledo no Facebook:
Tem uma coisa que está engasgada. Faz 15 anos que participo de protestos em São Paulo, e sempre a história é a mesma: a maldita Polícia Militar não respeita a democracia e nenhum tipo de passeata. Sempre reprime com uma violência desproporcional. Seja protesto de professores, estudantes, grevistas, sem-teto, a resposta é sempre a mesma: bombas de gás lacrimogêneo, spray de pimenta, cacetete, bala de borracha e prisões arbitrárias. Nisto, já vi pessoas ficarem gravemente feridas, cegas, surdas e com sequelas por toda a vida. Todo protesto começa pacífico, mas a PM e a Tropa de Choque, por orientação do governo e dos comandantes imundos destas corporações assassinas e criminosas, dão sempre a mesma resposta: porrada, repressão e prisão, com cumplicidade da mídia Globo, Veja, Folha e Estadão. Chamam de baderneiros e vândalos qualquer ato pacífico, e se hoje os protestos se converteram em depredação é porque ninguém mais aguenta apanhar por lutar por direitos. Não sou a favor de quebra-quebra, pelo contrário, se um patrimônio é público, o prejuízo é de todos. Mas consigo entender porque a revolta acumulada de anos e anos de repressão começa a estourar e a se radicalizar. Quanto mais se reprime, mas a resposta é violência e os culpados têm nome e partido: a máfia do PSDB que há quase 2 décadas governa São Paulo e que se acostumou a tratar questões sociais como caso de polícia. Em São Paulo não existe democracia, há a ditadura de um partido único que serve apenas há uma elite branca que só anda de helicóptero. Este é o pano de fundo dessa luta: liberdade, democracia e direitos sociais que não são respeitados em São Paulo.


A polícia de SP quebra o vidro da própria viatura para justificar os ataques. Veja no vídeo:

4.6.13

Liberdade de expressão


No vídeo abaixo você pode conferir como essa mídia, tão bem denominada PIG (Partido da Imprensa Golpista), orquestra a manipulação de informações para influenciar a opinião pública de que a ditadura da informação produzida por eles é liberdade de expressão.


Na contra-mão do interesse nacional e visando apenas o interesse próprio, não têm nenhum pudor em tratar   seu público como idiota e divulgar apenas aquilo de que podem tirar proveito. No link abaixo, você pode ler o artigo que saiu no Jornal do Brasil onde são acusados sutilmente de conspirar contra a pátria.


Na foto abaixo, o time de lesa-pátria despedindo-se do padrinho que tanto fez para que eles estejam no poder, claro que sempre garantindo o dinheiro público na firma do patrão.
 Aqui uma mão sempre lavou a outra...
(...e nem só mãos, lavava dinheiro, reputação, ideologias)

2.5.13

A justiça é cega e dorme durante a defesa do réu...

Esses dois ministros do STF dormiram durante a apresentação da defesa dos réus durante o julgamento do chamado "mensalão".
Agora, um dos dorminhocos causa uma crise de poderes com o Congresso ao meter a mão grande na competência alheia. Não quer apenas julgar as leis que o Congresso faz, mas quer dizer o que pode ou não pode ser discutido no Congresso.
O outro napeiro teve um pedido do réu para ser removido do cargo de relator do processo e que seja revisto todo o acórdão do julgamento por imperdoáveis "contradições, omissões e supressões inadmissíveis". 
Enquanto sonham com o "maior julgamento da história do Brasil" a Veja e a Globo dão o veredito, condenam e colocam o país no caminho do Paraguai. Um abraço de Morpheu na Suprema Corte brasileira.


13.4.13

Réquiem para Margareth Thatcher

Vimos neste início de ano como as opiniões da grande mídia e do grande público são antagônicas.
Quando morreu Hugo Chaves, a notícia era do fim de um dos ditadores mais nefastos da história recente. Mas o povo... 


Essa semana morre a Dama de Ferro da Inglaterra, M. Thatcher, e as notícias exaltam a carreira da primeira ministra que por 11 anos esteve à frente do poder na Inglaterra. Mas o povo, novamente...
Percebe-se assim que a imprensa que deveria te informar sobre o que acontece no mundo quer apenas, por matérias distorcidas, impôr sua opinião a todos pelo único viés que lhe interessa, suas ideologias e a de seus anunciantes. Por isso despenca assombrosamente sua credibilidade perante o público.

Se você não anuncia na TV, não é multinacional, e tem que relar pesado para poder viver, precisa rever seus conceitos de notícias e informação.


Clique no link abaixo para ver o discurso do Senador Requião sobre a influência dessa  Senhora no resto do mundo   https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=_nJC-GF75ro

28.3.13

Carta Aberta a FHC - Merecia destaque na Mídia

Uma Carta aberta a Fernando Henrique Cardoso que merecia entrar para os livros de história.

O professor Emérito da Universidade Federal Fluminense, Theontonio dos Santos responde a carta aberta que o Fernando Henrique Cardoso dirigiu ao presidente Lula.

Meu caro Fernando

Vejo-me na obrigação de responder a carta aberta que você dirigiu ao Lula, em nome de uma velha polêmica que você e o José Serra iniciaram em 1978 contra o Rui Mauro Marini, eu, André Gunder Frank e Vânia Bambirra, rompendo com um esforço teórico comum que iniciamos no Chile na segunda metade dos nos 1960. A discussão agora não é entre os cientistas sociais e sim a partir de uma experiência política que reflete comtudo este debate teórico. Esta carta assiada por você como ex-presidente é uma defesa muito frágil teórica e politicamente de sua gestão. Quem a lê não pode compreender porque você saiu do governo com 23% de aprovação enquanto Lula deixa o seu governo com 96% de aprovação. Já discutimos em várias oportunidades os mitos que se criaram em torno dos chamados êxitos do seu governo. Já no seu governo vários estudiosos discutimos, já no começo do seu governo, o inevitável caminho de seu fracasso junto à maioria da população. Pois as premissas teóricas em que baseava sua ação política eram profundamente equivocadas e contraditórias com os interesses da maioria da população. (Se os leitores têm interesse de conhecer o debate sobre estas bases teóricas lhe recomendo meu livro já esgotado: Teoria da Dependencia: Balanço e Perspectivas, Editora Civilização Brasileira, Rio, 2000).

Contudo nesta oportunidade me cabe concentrar-me nos mitos criados em torno do seu governo, os quais você repete exaustivamente nesta carta aberta.

O primeiro mito é de que seu governo foi um êxito econômico a partir do fortalecimento do real e que o governo Lula estaria apoiado neste êxito alcançando assim resultados positivos que não quer compartir com você… Em primeiro lugar vamos desmitificar a afirmação de que foi o plano real que acabou com a inflação. Os dados mostram que até 1993 a economia mundial vivia uma hiperinflação na qual todas as economias apresentavam inflações superiores a 10%. A partir de 1994, TODAS AS ECONOMIAS DO MUNDO APRESENTARAM UMA QUEDA DA INFLAÇÃO PARA MENOS DE 10%. Claro que em cada pais apareceram os “gênios” locais que se apresentaram como os autores desta queda. Mas isto é falso: tratava-se de um movimento planetário.

No caso brasileiro, a nossa inflação girou, durante todo seu governo, próxima dos 10% mais altos. TIVEMOS NO SEU GOVERNO UMA DAS MAIS ALTAS INFLAÇÕES DO MUNDO. E aqui chegamos no outro mito incrível. Segundo você e seus seguidores (e até setores de oposição ao seu governo que acreditam neste mito) sua política econômica assegurou a transformação do real numa moeda forte. Ora Fernando, sejamos cordatos: chamar uma moeda que começou em 1994 valendo 0,85 centavos por dólar e mantendo um valor falso até 1998, quando o próprio FMI exigia uma desvalorização de pelo menos uns 40% e o seu ministro da economia recusou-se a realizá-la “pelo menos até as eleições”, indicando assim a época em que esta desvalorização viria e quando os capitais estrangeiros deveriam sair do país antes de sua desvalorização, O fato é que quando você flexibilizou o cambio o real se desvalorizou chegando até a 4,00 reais por dólar. E não venha por a culpa da “ameaça petista” pois esta desvalorização ocorreu muito antes da “ameaça Lula”. ORA, UMA MOEDA QUE SE DESVALORIZA 4 VEZES EM 8 ANOS PODE SER CONSIDERADA UMA MOEDA FORTE? Em que manual de economia? Que economista respeitável sustenta esta tese?

Conclusões: O plano real não derrubou a inflação e sim uma deflação mundial que fez cair as inflações no mundo inteiro. A inflação brasileira continuou sendo uma das maiores do mundo durante o seu governo. O real foi uma moeda drasticamente debilitada. Isto é evidente: quando nossa inflação esteve acima da inflação mundial por vários anos, nossa moeda tinha que ser altamente desvalorizada. De maneira suicida ela foi mantida artificialmente com um alto valor que levou à crise brutal de 1999.

Segundo mito; Segundo você, o seu governo foi um exemplo de rigor fiscal. Meu Deus: um governo que elevou a dívida pública do Brasil de uns 60 bilhões de reais em 1994 para mais de 850 bilhões de dólares quando entregou o governo ao Lula, oito anos depois, é um exemplo de rigor fiscal? Gostaria de saber que economista poderia sustentar esta tese. Isto é um dos casos mais sérios de irresponsabilidade fiscal em toda a história da humanidade.

E não adianta atribuir este endividamento colossal aos chamados “esqueletos” das dívidas dos estados, como o fez seu ministro de economia burlando a boa fé daqueles que preferiam não enfrentar a triste realidade de seu governo. UM GOVERNO QUE CHEGOU A PAGAR 50% AO ANO DE JUROS POR SEUS TÍTULOS, PARA EM SEGUIDA DEPOSITAR OS INVESTIMENTOS VINDOS DO EXTERIOR EM MOEDA FORTE A JUROS NORMAIS DE 3 A 4%, NÃO PODE FUGIR DO FATO DE QUE CRIOU UMA DÍVIDA COLOSSAL SÓ PARA ATRAIR CAPITAIS DO EXTERIOR PARA COBRIR OS DÉFICITS COMERCIAIS COLOSSAIS GERADOS POR UMA MOEDA SOBREVALORIZADA QUE IMPEDIA A EXPORTAÇÃO, AGRAVADA AINDA MAIS PELOS JUROS ABSURDOS QUE PAGAVA PARA COBRIR O DÉFICIT QUE GERAVA. Este nível de irresponsabilidade cambial se transforma em irresponsabilidade fiscal que o povo brasileiro pagou sob a forma de uma queda da renda de cada brasileiro pobre. Nem falar da brutal concentração de renda que esta política agravou dráticamente neste pais da maior concentração de renda no mundo. VERGONHA FERNANDO. MUITA VERGONHA. Baixa a cabeça e entenda porque nem seus companheiros de partido querem se identifica com o seu governo…te obrigando a sair sozinho nesta tarefa insana.

Terceiro mito – Segundo você, o Brasil tinha dificuldade de pagar sua dívida externa por causa da ameaça de um caos econômico que se esperava do governo Lula. Fernando, não brinca com a compreensão das pessoas. Em 1999 o Brasil tinha chegado à drástica situação de ter perdido TODAS AS SUAS DIVISAS. Você teve que pedir ajuda ao seu amigo Clinton que colocou à sua disposição ns 20 bilhões de dólares do tesouro dos Estados Unidos e mais uns 25 BILHÕES DE DÓLARES DO FMI, Banco Mundial e BID. Tudo isto sem nenhuma garantia.

Esperava-se aumentar as exportações do pais para gerar divisas para pagar esta dívida. O fracasso do setor exportador brasileiro mesmo com a espetacular desvalorização do real não permitiu juntar nenhum recurso em dólar para pagar a dívida. Não tem nada a ver com a ameaça de Lula. A ameaça de Lula existiu exatamente em conseqüência deste fracasso colossal de sua política macro-econômica. Sua política externa submissa aos interesses norte-americanos, apesar de algumas declarações críticas, ligava nossas exportações a uma economia decadente e um mercado já copado. A recusa dos seus neoliberais de promover uma política industrial na qual o Estado apoiava e orientava nossas exportações. A loucura do endividamento interno colossal. A impossibilidade de realizar inversões públicas apesar dos enormes recursos obtidos com a venda de uns 100 bilhões de dólares de empresas brasileiras. Os juros mais altos do mundo que inviabilizava e ainda inviabiliza a competitividade de qualquer empresa. Enfim, UM FRACASSO ECONOMICO ROTUNDO que se traduzia nos mais altos índices de risco do mundo, mesmo tratando-se de avaliadoras amigas. Uma dívida sem dinheiro para pagar… Fernando, o Lula não era ameaça de caos. Você era o caos. E o povo brasileiro correu tranquilamente o risco de eleger um torneiro mecânico e um partido de agitadores, segundo a avaliação de vocês, do que continuar a aventura econômica que você e seu partido criou para este pais.

Gostaria de destacar a qualidade do seu governo em algum campo mas não posso faze-lo nem no campo cultural para o qual foi chamado o nosso querido Francisco Weffort (neste então secretário geral do PT) e não criou um só museu, uma só campanha significativa. Que vergonha foi a comemoração dos 500 anos da “descoberta do Brasil”. E no plano educacional onde você não criou uma só universidade e entou em choque com a maioria dos professores universitários sucateados em seus salários e em seu prestígio profissional. Não Fernando, não posso reconhecer nada que não pudesse ser feito por um medíocre presidente.

Lamento muito o destino do Serra. Se ele não ganhar esta eleição vai ficar sem mandato, mas esta é a política. Vocês vão ter que revisar profundamente esta tentativa de encerrar a Era Vargas com a qual se identifica tão fortemente nosso povo. E terão que pensar que o capitalismo dependente que São Paulo construiu não é o que o povo brasileiro quer. E por mais que vocês tenham alcançado o domínio da imprensa brasileira, devido suas alianças internacionais e nacionais, está claro que isto não poderia assegurar ao PSDB um governo querido pelo nosso povo. Vocês vão ficar na nossa história com um episódio de reação contra o vedadeiro progresso que Dilma nos promete aprofundar. Ela nos disse que a luta contra a desigualdade é o verdadeiro fundamento de uma política progressista. E dessa política vocês estão fora.

Apesar de tudo isto, me dá pena colocar em choque tão radical uma velha amizade. Apesar deste caminho tão equivocado, eu ainda gosto de vocês ( e tenho a melhor recordação de Ruth) mas quero vocês longe do poder no Brasil. Como a grande maioria do povo brasileiro. Poderemos bater um papo inocente em algum congresso internacional se é que vocês algum dia voltarão a freqüentar este mundo dos intelectuais afastados das lides do poder.

Com a melhor disposição possível mas com amor à verdade, me despeço

* Theotonio Dos Santos é Professor Emérito da Universidade Federal Fluminense, Presidente da Cátedra da UNESCO e da Universidade das Nações Unidas sobre economia global e desenvolvimentos sustentável. Professor visitante nacional sênior da Universidade Federal do Rio de Janeiro.



http://www.cartacapital.com.br/economia/carta-aberta-a-fernando-henrique-cardoso/

15.3.13

Trovadores Elétricos

Lançado recentemente o livro "Trovadores Elétricos" do meu amigo ilustre Anderson Pires. "Trovadores Elétricos é um livro plugado, que percorre em alta velocidade uma estrada poética cheia de ritmos e possibilidades, expressos principalmente por meio da narratividade impressa nos poemas. Recheado de referências ao rock e à literatura, os textos de Anderson Pires são ao mesmo tempo diretos e complexos e parecem nos mostrar como a vida pode (e deve) ser ouvida sempre no volume máximo."
video
Além do livro impresso o projeto experimenta novas formas de atingir o público, como o vídeo divulgação que você pode assistir aqui agora.
Site do autor: http://trovadoreseletricos21.blogspot.com.br/

24.1.13

Que diferença o Brasil do século XXI para o Brasil até o século XX

Com a palavra a Presidente:


“Temos baixado juros, reduzido impostos, facilitado o crédito e aberto, como nunca, as portas da casa própria para os pobres e para a classe média. Ao mesmo tempo, estamos ampliando o investimento na infraestrutura, na educação e na saúde e nos aproximando do dia em que a miséria estará superada no nosso Brasil”.
“Neste novo Brasil, aqueles que são sempre do contra estão ficando para trás, pois nosso país avança sem retrocessos, em meio a um mundo cheio de dificuldades".
 (Dilma Rousseff)